Publicidade

A Câmara Municipal da Praia da Vitória e o Cine-Clube da Ilha Terceira renovaram a parceria iniciada em 2018 e levam a cabo, novamente, nos primeiros seis meses deste no ano, o projecto “O Outro Lado do Cinema”, que consiste na exibição de filmes alternativos, no Auditório do Ramo Grande, uma quinta-feira de cada mês.

“Uma Mulher Não Chora”, “O Meu Pai e Eu”, “Cold War – Guerra Fria”, “BlacKkKlansman: O Infiltrado”, “Feliz Como Lázaro” e “No Coração da Escuridão”, são as seis exibições previstas para esta iniciativa que, segundo Carlos Armando Costa, Vice-presidente do Município, “visa a diversificação da oferta cinematográfica existente no Concelho e dar a conhecer novas perspectivas sobre temáticas relevantes para a dinamização social”.

“Esta colaboração com o Cine-Clube tem como objectivo primordial reforçar a nossa oferta cultural e, por conseguinte, alcançar novos públicos, nomeadamente os jovens, que estão mais virados para o cinema comercial. Neste sentido, considero o projecto uma mais-valia para os praienses e para todos os amantes da sétima arte”, sublinhou o autarca com tutela da área da Cultura.

Assim, no arranque da 1.ª temporada de 2019 (de Janeiro a Junho), o primeiro filme a projectar na tela gigante do Auditório do Ramo Grande será na quinta-feira, 10 de Janeiro, pelas 21h00. Trata-se do drama “Uma Mulher Não Chora”, de Fatih Akin, com as interpretações de Diane KrugerDenis MoschittoNuman Acar. O filme, para maiores de 16 anos, aborda temáticas como tráfico de drogas, vidas de sucesso, atentados terroristas e ideais de extrema-direita. “Uma Mulher Não Chora” venceu o Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro e esteve em competição pela Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, onde Diane Kruger foi galardoada com o prémio de Melhor Atriz pela sua interpretação.

Já a 14 de Fevereiro, Dia dos Namorados, o Cine-Clube e a Autarquia praiense propõem o filme “O Meu Pai e Eu”, uma comédia do realizador Bob Nelson, com Clive Owen, Jaeden Lieberher e Maria Bello nos principais papéis. Esta comédia dramática sobre o amor marca a estreia na realização de Bob Nelson e conta a história de reaproximação de um pai e um filho separados por problemas de alcoolismo.

Já a 7 de Março, vai à tela o filme vencedor do prémio para Melhor Realizador na edição de 2018 do Festival de Cannes. Falamos do sexto filme do polaco Pawel Pawlikowski, com interpretações de Joanna KuligTomasz KotBorys Szyc, intitulado “Cold War – Guerra Fria”. Rodado a preto e branco, a trama centra-se em duas pessoas oriundas de meios diferentes e personalidades que não condizem uma com a outra. O romance desenvolve-se em plena Guerra Fria, entre a Polónia, Berlim, Jugoslávia e Paris.

Chegados a Abril, na quinta-feira, 11, “BlacKkKlansman: O Infiltrado”, de Spike Lee, com John David WashingtonAdam DriverLaura HarrierRobert John Burke, conta a história do primeiro detective negro a entrar na polícia de Colorado Springs, das dificuldades que sentiu e da sua infiltração na célula local do Ku Klux Klan, ao mesmo tempo que se apaixona por uma líder local dos direitos civis. Baseado no livro de memórias do próprio Stallworth, uma figura da vida real, este é um filme entre o drama e a comédia, em que o passado é comparado directamente com o contexto político dos Estados Unidos de 2018.

Em maio, dia 2, “Feliz Como Lázaro”, da realizadora Alice Rohrwacher e com Adriano Tardiolo, Agnese Graziani, Luca Chikovani e Nicoletta Braschi nos principais papéis, é um drama que retrata a forma como a sociedade se aproveita de pessoas simples, trabalhadoras e sempre prontas a sacrificarem-se pelos outros. Este filme competiu pela Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes 2018, onde recebeu o Prémio de Melhor Argumento.

Para finalizar, a 1.ª temporada destaque para a exibição de “No Coração da Escuridão”, um drama/thriller realizado por Paul Schrader, com interpretações de Amanda Seyfried, Ethan Hawke, Cedric the Entertainer e Victoria Hill. Este filme conta a história de um ex-militar que, após a morte do filho na Guerra do Iraque, se refugiou na fé, tornando-se pastor, qualidade na qual conhece uma jovem a atravessar um momento difícil com o marido, um ambientalista radical, sendo que através deles descobre uma série de negócios obscuros entre a Igreja que representa e algumas empresas pouco escrupulosas da região. Esta realização esteve em competição no Festival de Cinema de Veneza e teve três nomeações (Melhor Filme, Melhor Argumento e Melhor Actor) no Gotham Independent Film Awards.

Carlos Armando Costa assume que “o Município da Praia da Vitória, enquanto promotor de Cultura no Concelho, entende que é fulcral dar a conhecer a arte nas suas mais diversas formas, apostando na diversidade junto de todas as faixas etárias”, sublinhando que “esta união de esforços entre Autarquia e Cine-Clube da Ilha Terceira é demonstrativa do que realmente se pode alcançar em prol do desenvolvimento socioeconómico local”. O Cine-Clube da Ilha Terceira é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1977, cujo principal objectivo se traduz na promoção, estudo e divulgação do cinema como meio de formação cultural.