‘O Século dos Prodígios’ vence Prémio História da Presença de Portugal no Mundo

O ensaio de Onésimo Teotónio Almeida conquistou o prémio que distingue obras históricas de reconhecido mérito

Onésimo Teotónio Almeida
Publicidade

O ensaio O Século dos Prodígios – A Ciência no Portugal da Expansão, do professor Onésimo Teotónio Almeida, venceu o Prémio Fundação Calouste Gulbenkian, História da Presença de Portugal no Mundo, que distingue obras históricas de reconhecido mérito, anunciou a Academia Portuguesa de História (APH), que promove o galardão. O livro é lançado esta sexta-feira e a cerimónia de entrega do prémio vai realizar-se a 5 de Dezembro, nas instalações da APH, em Lisboa.

Nesta obra, Onésimo Teotónio Almeida lembra o carácter pioneiro da ciência portuguesa no período dos Descobrimentos. “O nosso século XVI foi, verdadeiramente, um século de prodígios, cheio de inovação, de curiosidades e de especulação”, escreve.

O docente, doutorado em filosofia, dá especial atenção aos séculos XV e XVI, afastando-se simultaneamente da perspectiva nacionalista, na qual incorrem com frequência os historiadores portugueses, e da habitual indiferença da historiografia anglo-saxónica em relação ao papel que Portugal teve na história da ciência e do conhecimento.

O ensaio é, segundo a editora, a Quetzal, uma “revisitação dos anos de ouro da história portuguesa” e a revelação de como no país, durante o ‘período da Expansão’, surgiu e cresceu “um núcleo duro de pensamento e trabalho científico verdadeiramente pioneiro, sem o qual as viagens desses séculos teriam sido impossíveis”.

Onésimo Teotónio Almeida tem trabalhado nas últimas décadas como historiador da ciência portuguesa, embora seja formado em filosofia. Nascido em São Miguel em 1964, o autor doutorou-se pela Brown University, nos Estados Unidos, e foi director de vários departamentos naquela instituição, onde lecciona uma cadeira sobre valores e mundividências.

Além de vários livros de ensaios, o professor tem centenas de artigos dispersos e que ultimamente tem reunido em volumes temáticos, como De Marx a Darwin – a desconfiança das ideologias (2009), O Peso do Hífen. Ensaios sobre a experiência luso-americana (2010) e Pessoa, Portugal e o Futuro (2014).

No género de crónica e conto, as suas mais recentes colectâneas são Quando os Bobos Uivam (2013), Aventuras de um Nabogador – Estórias em Sanduíche (2007), Livro-me do Desassossego (2006) e Onésimo. Português Sem Filtro (2011), uma antologia de cinco livros esgotados.

Doutor Honoris Causa pela Universidade de Aveiro, Onésimo Teotónio Almeida é ainda colaborador permanente do Jornal de Letras e membro da Academia Internacional de Cultura Portuguesa e da Academia da Marinha.