Viseu, a cidade obscura que tenta ser famosa

O jornal britânico 'The Guardian' revela os segredos do crescimento da cidade de Viseu nos últimos anos, principalmente ao nível turístico e tecnológico

Publicidade

“A pequena cidade portuguesa de Viseu pode gabar-se de tudo o que se pode querer num destino turístico: gente amigável, ruas limpas, pôr-de-sol sobre as montanhas, ruínas romanas, uma catedral incrível e mais parques do que possa imaginar”, começa o artigo. “Historicamente, a única coisa que lhe falta é… turistas.”

Com estas palavras, o jornal britânico The Telegraph deu destaque, na edição de ontem, à cidade de Viriato, revelando os segredos do seu crescimento nos últimos anos, principalmente ao nível turístico e tecnológico.

Num artigo intitulado Como uma cidade obscura portuguesa está a tentar ser famosa, o diário lembra que nem sempre foi assim, mas desde 2013 que o número de visitantes, muitos dos quais estrangeiros, tem vindo a aumentar, associando esse facto à entrada em funções do novo executivo, liderado por Almeida Henriques, que tinha “um plano a dois tempos para o futuro da cidade: atrair empresas tecnológicas e estimular o turismo cultural”.

A chegada de empresas multinacionais como a IBM e a Altice, entre outras, permitiu à câmara municipal concentrar-se no segundo grande objectivo e aprovar um orçamento multimilionário apostado na cultura e no turismo que já está a dar frutos, nota a publicação.

“Viseu está agora no mapa enquanto destino cultural”, aponta o vereador da Cultura do município de Viseu, Jorge Sobrado, em declarações ao jornal britânico, sublinhando que “os visitantes portugueses estão a redescobrir a cidade novamente e os estrangeiros estão a descobrir-nos pela primeira vez.”

O artigo do The Telegraph surge duas semanas depois de Portugal ter sido distinguido pelo World Travel Awards como Melhor Destino Turístico do mundo pelo segundo ano consecutivo.