Montalegre assinala “Dia Mundial da Árvore”

Publicidade

Um pouco à semelhança do que aconteceu pelo país, Montalegre celebrou o “Dia Mundial da Árvore”, acção promovida pela Guarda Nacional Republicana (GNR). As actividades, iniciadas esta manhã na Praça do Município, reuniram forças da Protecção Civil e mais de uma centena de crianças do concelho. Uma atmosfera fantástica que teve continuidade com uma caminhada até ao pulmão da vila de Montalegre.

Referir que esta acção esteve enquadrada numa candidatura denominada “Porta PNPG de Montalegre/Ecomuseu de Barroso – Sensibilizar para a Conservação da Natureza”, financiada pelo programa comunitário POSEUR. Com esta operação, pretende-se «dotar este espaço de uma nova valência, virada para a comunidade escolar, com um conjunto de conteúdos apresentados em plataformas electrónicas que visam motivar a comunidade escolar para a conservação da natureza e da biodiversidade». A ideia passa por transformar a Porta do Parque/Ecomuseu de Barroso, num espaço de sensibilização ambiental. Com efeito, esta implementação «emerge da necessidade de “criar” uma geração mais consciente, mais informada, mais atenta, mais motivada, mais preparada, mais empreendedora e mais sensível para as questões da protecção do território do Parque Nacional da Peneda-Gerês em particular e do meio ambiente em geral, da sua natureza e biodiversidade e para a importância, vantagens e oportunidades que a conservação dos valores e bens da natureza podem aportar às comunidades».

TEM A PALAVRA

Orlando Alves | Presidente da Câmara de Montalegre

«Não tenho dúvidas que esta acção, onde estiveram envolvidas as diversas entidades com responsabilidades na área florestal, vai ficar guardada nestas crianças para memória futura. Tenho a certeza que vão reter e implementar a mensagem que foi transmitida. Estamos a viver momentos terríveis como os que se estão a verificar em Moçambique. Amanhã pode ser aqui. É o resultado das nossas acções no dia-a-dia. A falta de respeito pelo ambiente, o uso e abuso do plástico, os fogos na floresta e muito mais. O planeta está a dar sinais de que está doente e a morrer. A seca a que assistimos é preocupante. Vai originar uma enorme falta de alimentos. Quando a terra estiver desertificada, a vida do homem vai extinguir-se. Há uma mensagem muito bem direccionada. Estamos a matar o planeta e, consecutivamente, a nós próprios».

João Morgado | 2.° Comandante do Comando Territorial de Vila Real da GNR

«A Guarda Nacional Republicana desenvolveu, a nível nacional, um conjunto de actividades que assinalam este dia. Em cada distrito está a desenvolver a “Caminhada pela Floresta”. Tentamos associar as escolas e a restante comunidade de forma a consciencializar as pessoas. Partimos do centro da vila até ao parque florestal mais próximo. Queremos sensibilizar para os cuidados que devemos ter com a nossa floresta, evitando os incêndios florestais».

Eduardo Carvalho | Instituto de Conservação da Natureza e Floresta (ICNF)

«O caminho faz-se caminhando. É nestas idades que devemos sensibilizar os mais pequenos para as questões da floresta. Temos chegado à conclusão de que as crianças transmitem muito bem a informação aos familiares. Esta iniciativa mostra, também, a importância da articulação entre todas as instituições que devem estar unidas, no combate, mas sobretudo, na prevenção e na realização destes eventos que são muito importantes».