“Formas Sensíveis de Luz” na Biblioteca de Mangualde

Publicidade

A Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, em Mangualde, recebe a exposição de pintura e aguarelas “Formas Sensíveis de Luz”, da autoria de Carmo Paulino. Uma exposição com uma forte incidência no azulejo português e que poderá ser visitada de 7 de Março a 6 de Abril.

Entre a feminilidade do seu gesto criativo, a artista convoca intimidade de composições que se traduzem em formas sensíveis de luz. Nesta mostra, Carmo Paulino convida a transitar por um espaço artístico no qual as leituras de distintos elementos criam composições singulares. Entre as múltiplas dimensões que atravessam a sua obra, a cultura azulejar está sempre presente. A riqueza cromática característica dos azulejos produz padrões e texturas modulares que são incorporados pela artista de maneira única, num gesto criativo habitado por luz e cor. As figuras femininas, o universo familiar, as narrativas enigmáticas e os fragmentos que remetem aos elementos tradicionais portugueses, constituem os motivos fundamentais da obra de Carmo Paulino.

Sobre a autora

Carmo Paulino é artista plástica, formada em Pintura e Escultura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto (ESBAP). Foi professora de Artes Visuais e ilustradora das capas dos livros “As lendas de Santa Marta de Penaguião”, de Alberto Ferreira, “A Régua na Memória da República”, de Pedro Santos Lopes. Também ilustrou o livro juvenil “Santa Marta e Guillon”, de Alberto Ferreira.

Colaborou na produção de cenários da curta-metragem “Alma Grande”, do colectivo HUSMA, e foi artista na produção de máscaras no projecto Anima, em colaboração com o Teatro de Marionetas do Porto.

Integra desde 2017 o projecto “Cultura que Une” Douro/Galiza, com a exposição itinerante “Ribeira Sacra – Douro”.

Participou em inúmeras exposições, colectivas e individuais: em Amarante, Armamar, Aveiro, Concello de Sober, Lamego, Lisboa, Mangualde, Peso da Régua, Porto, Santa Marta de Penaguião, Vila do Conde, Vila Nova de Foz Côa e em Vila Real.