Festival dos Canais regressa a Aveiro com mais de 200 espectáculos em cinco dias

FESTIVAL DOS CANAIS - Cidade de Aveiro 17 a 21 de Julho Entrada livre

Publicidade

A 4ª edição do Festival dos Canais, organizado pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA), através da sua estrutura do Teatro Aveirense regressa a Aveiro, entre 17 a 21 de Julho, transformando a cidade dos canais num palco a céu aberto, onde serão apresentados mais de 251 espectáculos, que envolverão 32 companhias artísticas e cerca de 277 artistas nacionais e internacionais, provenientes de 16 países, a que se juntam 220 participantes da comunidade. A edição deste ano traz 15 estreias nacionais e quatro premières absolutas, numa programação artística e cultural que aposta também em artistas e companhias consagrados como Gilberto Gil, Mariza, HMB , Capicua e a Companhia Walk The Plank.

Com um investimento aproximado de 500 mil euros, o Festival dos Canais, recentemente distinguido com o EFFE Label (Europe for Festivals, Festivals for Europe) – um selo de qualidade, atribuído pela European Festivals Association (Co-fundada pelo Programa Europa Criativa da União Europeia), a festivais de referência que reconhece o trabalho desenvolvido no campo das artes, do envolvimento comunitário e da abertura internacional -, aposta em cinco dias de propostas culturais, desportivas e de lazer de acesso totalmente livre, que decorrerão nos canais, nas praças e nos espaços públicos da cidade com actividades e propostas interactivas, dedicadas a todas as idades.

Artes e o teatro de rua,concertos, instalações artísticas, performances, workshops, actividades desportivas e de lazer, oficinas criativas, mercados de rua e Dj’s são algumas das sugestões que integram a quarta edição do evento.

Capicua, acompanhada por Keso, Virtus Teau, DJD1, estreia no dia 17 o palco principal, com um espectáculo único protagonizado em conjunto com a Banda Sinfónica de Aveiro Banda Amizade, que resulta de um desafio lançado pela organização. Seguem-se os HMB, no dia 18, e Gilberto Gil, no dia 20, que apresentará em Aveiro o seu mais recente trabalho discográfico “OK OK OK”, considerado o “primeiro álbum da velhice”, num espectáculo que inclui muitos temas novos, mas também um repertório de sucessos que já fazem parte da vida e da história do Brasil. O festival encerra a sua programação no palco principal com chave de ouro, entregando o último concerto da quarta edição do Festival dos Canais a Mariza, considerada por muitos a mais internacional artista portuguesa de sempre.

Envolvimento com a comunidade

A edição deste ano traduz uma maior aproximação à comunidade local, que participa de forma mais activa no evento, assumindo, em alguns casos, grande protagonismo. É o caso do espetáculo “Sparkl!,Worldbeaters”, uma das estreias nacionais que integra o cartaz do festival, que contará com a participação de percursionistas de Aveiro ou o caso do projecto “Tales of The Lagoon”, um espectáculo de Teatro de Rua encomendado pelo Festival dos Canais à Companhia Walk The Plank, no qual participam instituições da comunidade ligadas à dança, ao teatro e à música. Destaque também para a Banda Amizade, que, após o extraordinário concerto protagonizado na edição do ano passado com Lengendery Tigerman, sobe este ano ao palco com Capicua, Keso, Virtus Teau e DjD1.

A Fanfarra dos Canais é também, entre muitos outros, um exemplo da importância que a comunidade assume nesta edição. Criada em colaboração com várias comunidades musicais locais, a fanfarra assumirá um papel preponderante neste festival enquanto fio condutor entre as várias actividades a decorrer na cidade. Em cada um dos dias do festival, a Fanfarra dos Canais fará diferentes percursos ligando e relacionando actividades do programa cultural e artístico a decorrer. A música entusiasmante e os figurinos inspirados no colorido dos elementos decorativos dos moliceiros serão, assim, o “sinal” de que algo irá acontecer.

Destaques do Festival dos Canais 2019

Entre os destaques da programação, para este ano inclui-se a estreia nacional de “Esencial”, da companhia VAIVÉN CIRCO, um espectáculo de circo contemporâneo e de dança, que pode ser visto nos dias 19, 20 e 21,fala sobre transições e conta a história de um grupo de pessoas nómadas, feirantes e velhos marionetistas que chegam a uma nova cidade para trabalhar. Directamente do país vizinho, a já premiada companhia artística apresenta pela primeira vez em Portugal uma produção poética e educativa, inspirada no Arco Íris de Waldrof.

Outro dos momentos auge deste Festival será a actuação da companhia inglesa “Spark!Worldbeaters”, um grandioso espectáculo de teatro de rua, visualmente arrasador e acusticamente impressionante, que combina bateria de alto impacto com coreografias dinâmicas e um design de iluminação extraordinário. Actuam nos dias 18, 19 e 20, com colaboração de percursionistas aveirenses, envolvendo o público numa experiência visual e sonora irrepetível.

Nos espectáculos de rua destaque para cinco produções, oriundas de cinco países distintos com artistas internacionais das mais diversas geografias. “O2”, um projecto de Arte Pública que nasceu pela Companhia PIA, em Macau, dá, no dia 18, o pontapé de saída à programação das artes de rua, com uma performance que convida o espetador a reflectir sobre como poderia sobreviver a uma sociedade onde a tecnologia desvanece as relações humanas e o acesso ao oxigénio se torna um luxo. É também com uma mensagem pedagógica de preocupação ambiental que “Tales of The Lagoon” se apresenta no dia 19, para uma exibição única, em estreia absoluta. Trata-se de uma adaptação da companhia de teatro “Walk the Plank” ao espectáculo “River Stories” à paisagem e ao contexto de Aveiro, para celebrar a Ria e os seus canais e que sublinha a necessidade de mudar comportamentos face às actuais mudanças climáticas.

No dia 21, “Lampadophores”, um espectáculo divertido protagonizado pela companhia francesa Picto Facto, mostra como é possível ultrapassar a barreira das mais diferentes e estranhas línguas. Por sua vez, “Meeting Point”, uma produção da consagrada companhia espanhola Ertza fala nos dias 19, 20 e 21, sobre os lugares onde as pessoas estão e as travessias que precisam de fazer, num cruzamento de linguagens que vão do break-dance ao hip-hop até à dança contemporânea. Com um abordagem mais acrobática, a companhia andaluz Pakipaya leva até Aveiro “Shake, Shake, Shake”, um espetáculo de Circo Contemporâneo, de humor, risco e emoção, rico em acrobacias aéreas e mastro chinês, numa fusão cúmplice entre circo e teatro burlesco, que poderá ser apreciado nos dias 19,20 e 21 de Julho.

Ao longo dos cinco dias do festival estão ainda previstas iniciativas como o Hub Station, um projecto de arte efémera que resulta do cruzamento de vários artistas independentes, que actuam na mediação entre arte, ecologia e sustentabilidade. O projecto, que pretende reflectir sobre dinâmicas urbanas de transformação da cidade, consiste na construção de cinco estruturas com materiais reutilizáveis, no Jardim do Rossio, que serão parcialmente habitadas por artistas e pelo público em simultâneo, promovendo a interacção entre arte, público e cidade.

Pensado para todas as idades, o Festival dos Canais apresenta também muitas acções direccionadas para o público infantil e familiar, convidando-os a explorar, manipular, criar, intervir e participar de forma activa.

O evento conta ainda com uma Funky Beach, um espaço relaxado e tropical, com palmeiras, espreguiçadeiras e coktails variados, que contará com música variada assinada por diferentes Dj’s, e uma instalação permanente, a “Billevesées – L’estaminet”, assinada pela companhia Picto Facto, que propõe um bar imaginário onde as pessoas são convidadas a conversar livremente.

Destaque, por último, para a instalação “Eco-Logias Artísticas nos Canais”, uma exposição centrada no tema da ecologia, na qual o público é desafiado a provar, levar elementos das obras, manipular conteúdos, numa abordagem que procura novas narrativas estéticas.

A cidade de Aveiro será assim durante cinco dias um palco privilegiado de animação, onde os canais da ria de Aveiro serão o epicentro por excelência de um programa multidisciplinar que cruza diferentes manifestações artísticas, culturais, desportivas, naúticas e de lazer. É um evento onde todas as iniciativas são gratuitas e que convida a sentir a Cidade de Aveiro, a celebrar o seu presente, a valorizar a sua forte identidade, o seu património natural e a sua paisagem urbana única.