Estado compra parte do espólio de Almeida Garrett por 30.000 euros

Publicidade

A coleção inclui mais de 400 manuscritos, muitos deles inéditos
O Estado português adquiriu parte do espólio de Almeida Garrett, que estava na posse da família Futscher Pereira, por 30.000 euros, anunciou esta esta quinta-feira pela secretaria de Estado da Cultura, durante a inauguração da mostra evocativa dos 160 anos da morte do escritor.

A coleção engloba mais de 400 páginas manuscritas, grande parte delas inéditas, assinadas pelo próprio autor, que abarcam um total de 99 temas de romances, o que permite desenvolver um conhecimento específico da poética garrettiana.

“O espólio agora adquirido será objeto de um contrato de depósito na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, enriquecendo, desta forma, o já importante espólio garretiano de que [a instituição] dispõe”, avança a secretaria de Estado da Cultura, em comunicado.

Almeida Garrett, conhecido, em especial, por “Viagens na Minha Terra”, “Folhas Caídas” e “ Frei Luís de Sousa”, é uma das personalidades sepultadas no Panteão Nacional. Foi escritor, poeta, jornalista e político, tendo participado na falhada revolução liberal de 1820, que o obrigou a exilar-se na Inglaterra.

A exposição “Almeida Garrett- Viagem e Património” está patente até ao próximo dia 19 de abril, no Panteão Nacional, em Lisboa.