“Não corras atrás da glória, porque só ela é que pode correr atrás de ti”

Até janeiro de 2017, os município de Gouveia, Guarda e Ponte de Lima comemoram o centenário do nascimento de Vergílio Ferreira com um programa que inclui exposições, documentários e viagens literárias

Fotografia: DR
Publicidade

A Câmara Municipal de Gouveia vai comemorar, ao longo de 2016, o centenário do nascimento de Virgílio Ferreira com um ciclo de atividades ligadas à vida e obra do escritor nascido naquele concelho. O programa de comemorações começa a 28 de janeiro, dia do nascimento do romancista, e inclui exposições, colóquios, música, teatro, exibição de filmes, a reedição de obras literárias e a apresentação do “Roteiro Vergiliano – Melo e a ‘aldeia eterna’ de Vergílio Ferreira”, entre outros momentos.

Nesse dia, o município vai inaugurar a exposição ‘Vergílio Ferreira – Os Caminhos da Escrita’, no Museu Abel Manta, emitir um postal alusivo ao centenário e repor o busto do escritor na Praça de São Pedro, no centro da cidade de Gouveia, na Serra da Estrela. No dia 30 de janeiro, diversas personalidades que conviveram com o autor de ‘Aparição’ são convidadas a apresentar o amigo, o escritor, o intelectual e o professor.

O programa de comemorações prossegue entre 19 a 21 de maio, com a realização de um colóquio internacional sobre ‘Vergílio Ferreira e o Apelo Invencível da Arte de Pensar’. Para o dia 12 de agosto de 2016 está agendada a apresentação do “Roteiro Vergiliano – Melo e a ‘aldeia eterna’ de Vergílio Ferreira”, que pretende dar a conhecer “alguns lugares da aldeia natal do autor que inspiraram a construção do palco principal de quase todos os seus romances e narrativas breves”, revela a Câmara Municipal de Gouveia.

Todas estas atividades pretendem “honrar e continuar a divulgar o singular legado de Vergílio Ferreira na literatura e cultura portuguesas”, revela a autarquia, lembrando que o escritor é considerado “um dos maiores romancistas da literatura de língua portuguesa” e autor “de alguns dos títulos que marcaram a paisagem da ficção nacional da segunda metade do século XX, tais como: ‘Aparição’, ‘Alegria Breve’, ‘Nítido Nulo’ e ‘Para Sempre'”.

O encerramento das comemorações do centenário acontece no dia 28 de janeiro de 2017 com uma palestra sobre o roteiro vergiliano e o espólio bibliográfico da Sala Vergílio Ferreira. No âmbito do programa do centenário, o município de Gouveia criou também uma página na internet (www.vergilioferreira.pt) inteiramente dedicada ao escritor.

Guarda lança documentário sobre Virgílio

 Também a Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (Bmel), na Guarda, está a comemorar o centenário do nascimento de Virgílio Ferreira com um ciclo de iniciativas ligadas à sua vida e obra, entre as quais uma peça de teatro, uma exposição, viagens literárias e um documentário.

A programação cultural arrancou no dia 9 de janeiro, com o documentário de Lauro António “Prefácio a Vergílio Ferreira” e o colóquio “A política e o riso num tríptico romanesco de Vergílio Ferreira”, por Jorge Costa Lopes.

Entre 19 a 31 de Janeiro, a BMEL vai apresentar a exposição de fotografia “A Guarda em Vergílio Ferreira”. As imagens, da autoria de Luísa Ferreira e de Arménio Bernardo, ilustram as referências à Guarda na obra de Vergílio Ferreira e fazem parte do projeto “Um (e)terno olhar (exposição e catálogo)”, promovido pela Câmara Municipal da Guarda e pelo Centro de Estudos Ibéricos por ocasião da inauguração da BMEL.

A programação dedicada ao escritor sugere, a 23 de janeiro, uma viagem literária a Melo e a Gouveia, com partida da biblioteca, pelas 09:00 horas. No dia 28, pelas10:30 e pelas 15:00, o grupo de teatro O Bando apresenta aos alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Secundário a peça “O senhor Imaginário”, monólogo que pretende reinventar o universo dos contos de Vergílio Ferreira através da personagem Jeremias, representada pelo ator Guilherme Noronha.

O ciclo encerra no dia 30 de janeiro, com “Percursos vergilianos pela Guarda”, conduzidos por Anabela Matias. “Estes roteiros literários pretendem levar os leitores aos espaços concretos referidos nas obras, envolvê-los na diegese vergiliana e contextualizá-los com a ação e personagens”, revela a Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço.

Ponte de Lima organiza exposição

A Biblioteca Municipal de Ponte de Lima (BMPL), associa-se às comemorações com uma exposição de tributo ao escritor português. A mostra, patente de 25 de janeiro a 29 de fevereiro de 2016, reúne mais de uma dezena de painéis que, em textos e imagens, revisitam a vida e a obra do autor de Aparição e disponibiliza todo o material bibliográfico, de e sobre Vergílio, existente naquele espaço cultural.

No no final da exposição, a BMPL vai colocar em suporte digital toda a documentação que integrou a homenagem a um dos maiores romancistas portugueses do século XX.

Além da mostra biobibliográfica, o programa comemorativo inclui ainda a palestra “No Centenário de Vergílio Ferreiraa, orientada pelo cineasta e crítico de cinema Lauro António, e agendada para dia 4 de fevereiro, pelas 09:30, no Auditório Municipal Rio Lima.

Vergílio Ferreira nasceu a 28 de janeiro de 1916, na aldeia histórica de Melo, concelho de Gouveia, no distrito da Guarda, e faleceu a 1 de março de 1996, em Lisboa. As quase 50 obras que escreveu, entre romances contos, ensaios e diários, marcaram, de forma inequívoca, a ficção nacional, com particular destaque para “Manhã submersa”, “Vagão J”, “Para sempre”, “Até ao fim” e “Em nome da terra”.

 

* A citação que serve de título a este artigo pertence ao livro “Pensar”, publicado em 1992.