A alma de Marvila

Publicidade

Os domingos são há décadas dia de Feira do Relógio. O nome engana: neste mercado, localizado em Marvila, pode encontrar um pouco de tudo, de produtos hortícolas a mobiliário. A explorar semanalmente, das 07h00 às 14h00.

Uma tradição com mais de três décadas, a Feira do Relógio começou por se localizar na Avenida Pardal Monteiro, desde a Quinta do Alemão até Chelas. O evento mudou-se, há cerca de 15 anos, para a Avenida do Santo Condestável, que liga a rotunda dos Olivais Sul à rotunda da Bela Vista. Uma alteração que possibilitou uma maior concentração de bancas numa área mais reduzida, naquela que já é uma das imagens de marca da freguesia de Marvila.

O mercado estende-se por duas ruas, organizadas de acordo com o tipo de produtos. Em cerca de metade do espaço são vendidos artigos de vestuário, sapatos e tecidos, bem como quinquilharias, bijutarias, loiça, tapeçarias, ferramentas, flores, candeeiros, mobiliário, entre outros produtos. A restante zona consiste um mercado tradicional de frutas e legumes, onde os visitantes podem encontrar bens hortofrutícolas, queijos e produtos cárneos, pão e bolos, vinhos engarrafados, bacalhau, gelados e castanhas. A dividir as duas áreas existem roulottes de alimentação e bebidas, onde não faltam farturas, algodão doce e pipocas.

Nos primórdios do evento, os feirantes eram maioritariamente de etnia cigana. Hoje, predomina a multiculturalidade e são muitas as raças e tradições que se cruzam neste mercado ao ar livre. Gente de várias origens e credos junta-se ao longo da Avenida de Santo Condestável, numa mistura de pregões e regateios, cores e sabores que contribui para criar um ambiente único.

Um dos maiores mercados lisboetas, a Feira do Relógio tem enfrentado alguns problemas de segurança ao longo dos anos, pelo que é aconselhável que os visitantes se acautelem contra os roubos. Uma reputação que é encarada com humor: conta a lenda local que qualquer objeto retirado a um turista lhe será vendido novamente antes do fim da sua visita à Feira do Relógio.

E de onde vem, afinal, o tão típico nome? Feira do Relógio, Bairro do Relógio … uma série de designações informais, todas inspiradas pelo relógio instalado na Praça do Aeroporto. Um nome que ficou e que descreve um mercado de que vários lisboetas já não abdicam.

Na próxima semana… a tradição reinventada na Feira na Fábrica do Lx Market.