Canhões classificados como “Tesouro Nacional” expostos no Museu de Portimão

Canhões classificados como “Tesouro Nacional” expostos no Museu de Portimão

Três dos canhões do século XVII encontrados na Foz do Rio Arade na sequência de uma recolha arqueológica subaquática, realizada entre os anos 1993 e 2006, encontram-se expostos no Museu de Portimão.

Classificados como “Tesouro Nacional” pela Direção-Geral do Património Cultural (DGCP), os dez canhões são considerados uma das maiores coleções de artilharia do século XVII.

Estes estão associados a um naufrágio de um navio, entre os anos 1580 e 1640 e, por isso, são um importante testemunho da navegação transoceânica da época da União Ibérica.

Neste sentido estes exemplares integram a exposição permanente “Portimão - Território e Identidade” do Museu, enquanto os restantes sete estão em tratamento no Centro Nacional de Arqueologia Subaquática da DGPC, em Lisboa.

Os canhões do Rio Arade vieram juntar-se ao Mosaico Romano do Deus Oceano, exposto no Museu de Faro e às atas do Século XIV do Arquivo de Loulé, outros bens classificados como objetos de interesse nacional na região do Algarve.