O defensor do Minho

O defensor do Minho
Fotografia: Município de Caminha

O distrito de Viana do Castelo tem um nível turístico muito rico e no concelho de Caminha sabe-se que não é exceção, pois, o Forte da Lagarteira ou Forte de Âncora é uma riqueza minhota.

Guardião da margem direita do rio Âncora, o Forte da Lagarteira está elevado numa superfície rochosa que lhe oferece toda a posição dominante em relação a todo o resto.

Este edifício não se destaca pela sua dimensão, mas sim pela sua função. Esta fortificação possuí um tamanho mais pequeno relativamente a outras que existem no continente. Tem uma estrutura defensiva, com muralhas laterais em estrela devido à imagem que possuí se for visto de cima.

Em 1955 foi submetido a obras de requalificação sempre em prol da boa conservação e melhoramento do edifício.

O forte de estilo medieval foi uma das fortalezas mandadas construir por D. Pedro II para reforçar a costa portuguesa das ameaças recorrentes dos espanhóis. A sua posição estratégica nesta linha defensiva colocada sobre a margem do rio Minho até ao longo da Costa Atlântica preveniu e defendeu todos os possíveis ataques piratas.

Esta arquitetura militar cruza com o Forte de Santiago da Barra, também em Viana do Castelo. Está aberto ao público e por vezes conta com pequenas exposições temáticas, como navegações marítimas, os faróis de Portugal ou sobre a sua documentação histórica. Todos os visitantes ou turista descrevem este forte como algo belíssimo e garantem que a experiência de o visitar ficará eterna.