Rosa Mota vai transportar a Tocha Olímpica

A tocha é acesa esta quinta-feira na Grécia, onde a campeã olímpica da Maratona vai estar a partir de amanhã para falar da sua experiência e correr a primeira volta das finais nacionais escolares de Corta-Mato

Rosa Mota celebra a vitória na Maratona dos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988. Fotografia: Comité Olímpico de Portugal
Publicidade

A campeã olímpica e vice-presidente do Comité Olímpico Português (COP), Rosa Mota, vai transportar a Tocha Olímpica no próximo dia 26 na cidade de Maratona, na Grécia, no âmbito das comemorações do acender da Tocha Olímpica Rio’2016.

A tocha é acesa esta quinta-feira em Olímpia, dando início a uma semana de celebrações, com a Tocha a percorrer alguns locais do país de origem dos Jogos.

Rosa Mota vai estar em terras helénicas a partir de amanhã para participar em diversas iniciativas, algumas com crianças, nas quais vai falar da sua experiência, dos valores olímpicos e da importância do desporto na vida, assim como correr a primeira volta das finais nacionais escolares de Corta-Mato, ao lado dos jovens.

No dia 26 de abril, a campeã olímpica de Maratona em Seul (1988) é uma das várias personalidades convidadas para o transporte da Tocha Olímpica.

As cerimónias na Grécia terminam no Estádio Olímpico dos Jogos de 1896, os primeiros da Era Moderna, o Panathenaic Stadium, onde curiosamente Rosa Mota venceu o Campeonato da Europa, em 1982, na primeira maratona que correu na sua carreira.

Da Grécia, a tocha segue para a sede do Comité Olímpico Internacional (COI), em Lausanne, na Suíça. A chegada ao Brasil está marcada para dia 3 de maio, com o início do percurso em Brasília.

A chama vai percorrer 328 cidades de todos os Estados brasileiros até ao Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos 2016. Cada um dos 12 mil condutores percorre 250 metros com a tocha num total de 20 mil quilómetros por terra.