Feirinha ‘Sabores de Outono’ dá o mote para dois dias de tradição, música e convívio em Esqueiros

Publicidade

Os ‘Sabores de Outono’ trazem a Esqueiros dois dias, 24 e 25 de Outubro, de tradição, música e convívio.

A iniciativa arrancou durante a manhã de hoje com muita animação. Os alunos da EB1 e do Jardim de Infância de Esqueiros juntaram-se para interpretar a música ‘Andorinha Negra’ e, de seguida, um grupo mais reduzido dançou o folclore.

A manhã marcou também a abertura da Feirinha Sabores de Outono, onde os interessados poderão adquirir produtos agrícolas, doces, compotas… Inclui ainda uma zona dedicada ao artesanato local e outra à castanha, que “é a rainha” da edição deste ano. O ‘pontapé de saída’ da feira decorreu ao som dos ritmos alegres dos tocadores de concertina.

A música regressa ao final da tarde de hoje com a actuação da Academia de Música de Vila Verde (19h30), a que se segue um jantar/convívio com gastronomia regional. Pelas 21h, começa o magusto típico, acompanhado pelos sons da música popular. Amanhã, a Feirinha Sabores de Outono abre pelas 10h. Uma hora mais tarde, decorrerá a entrega de prémios do concurso de decoração de travessas em terracota com os motivos do outono.

Aproximar os encarregados de educação e a comunidade local da escola, colocar os alunos em contacto com as tradições locais, angariar fundos para adquirir materiais didáticos e desenvolver actividades do âmbito escolar. De acordo com a professora Alexandra Matos, são estes os principais objectivos da iniciativa organizada em conjunto pela EB1/JI de Esqueiros, encarregados de educação e Junta de Freguesia. O evento integra a programação Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde.

Presente na sessão de abertura, o presidente do Município de Vila Verde não poupou elogios ao trabalho desenvolvido em Esqueiros. Numa altura em que o concelho celebra a época das colheitas e a cultura popular, António Vilela sublinhou a importância de transmitir aos jovens alunos as genuínas tradições locais e promover a interacção da escola com a comunidade local e com os pais, para que “sintam também esta vontade de participar no processo educativo dos filhos e se envolvam nestas actividades”. O edil destacou ainda a proactividade da comunidade escolar, já que a iniciativa permite angariar verbas para desenvolver actividades ao longo do ano lectivo.