O Parque Arqueológico do Vale do Côa

Publicidade

O Vale do Côa é um autêntico museu ao ar livre, o seu espólio é formado por mais de mil rochas com manifestações rupestres, localizadas ao longo de 80 locais distintos. As figuras do período paleolítico, datadas com mais de 25 000 anos, imperam pelo parque.

As gravuras mostram o quotidiano dos povos que habitaram o Vale do Côa em tempos distantes. São representações do dia-a-dia, testemunhos perpetuados na rocha, que nos ajudam a compreender actualmente o modo de vida dos nossos antecessores.

A maior parte dos entalhes na pedra pertencem ao período do Paleolítico Superior, ocorrido entre 35 mil a. C. e 8 mil anos a. C., mas existem também manifestações artísticas datadas dos posteriores Neolítico e Idade do Ferro. A descoberta destas gravuras deixou cair o mito de que este tipo de manifestações apenas tinha lugar em cavernas.

O Parque Arqueológico do Vale do Côa foi criado em 1996 com o objectivo de preservar e divulgar este património milenar. Existem visitas guiadas a quatro dos principais núcleos do vale: Fariseu, Canada do Inferno, Penascosa e Ribeira de Piscos. Em 2010 surge o Museu do Côa, um espaço que nasceu com vista a contextualizar, e ajudar os visitantes a compreender melhor a importância da arte rupestre do Vale do Côa.

Devido à sua enorme importância histórica as gravuras do Vale do Côa encontram-se classificadas como Património Mundial da UNESCO.

Leia mais em: https://descla.pt/?p=126169