Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas regressa a partir de 13 de Setembro

Publicidade

O Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas regressa de 13 de Setembro a 31 de Outubro para mais uma edição, a terceira, mais multidisciplinar e próxima das comunidades.

Do programa constam 19 espectáculos, cinco oficinas e quatro projectos audiovisuais, de companhias nacionais e estrangeiras, a apresentar em teatros, bibliotecas e espaços públicos e patrimoniais de 10 municípios associados da Artemrede: Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Pombal, Sobral de Monte Agraço e Tomar.

A abertura acontece em Pombal, a 13 de Setembro, com o espectáculo de artes de rua Das Cinzas, da companhia FIAR. O encerramento é a 31 de Outubro, em Aljubarrota (Alcobaça), com Fogo Lento, da coreógrafa italiana Costanza Givone.

Entre essas datas são muitos os títulos a apresentar, na sua maioria gratuitos e acessíveis para públicos de diversas idades: desde crianças, ainda em fase escolar, até jovens e adultos.

Cruzando a arte das marionetas e das formas animadas com o teatro físico, as artes de rua e o audiovisual, o 3º Manobras traz três companhias estrageiras – Toc de Fusta, Figure Libre e Don Davel, oriundas de Espanha e de França – e uma selecção de reputados artistas e companhias nacionais: S.A. Marionetas, Teatro e Marionetas das Mandrágora, Radar 360º, Companhia da Chanca, Amarelo Silvestre, entre outros.

O realizador António-Pedro (Caótica) dá continuidade aos seus projectos audiovisuais com 12 Até ao Fim do Mundo, uma vídeo-instalação produzida durante uma residência artística em Alcobaça. 12 Até ao Fim do Mundo é um alerta sobre o estado do Planeta e sobre o seu fim, tendo como pano de fundo Dom Pedro e Dona Inês, ansiosos pelo dia em que finalmente se reencontrarão.

Para além de 12 Até ao Fim do Mundo, António-Pedro realizou três outros objectos audiovisuais (instalações e curtas-metragens), exibidos em Abrantes, Sobral de Monte Agraço e Tomar nas anteriores edições do festival. Ne Pas Couper – Tramagal, Levada Sem Fim e Passeio a Sobral são reprogramados este ano.

A transversalidade etária dos públicos do festival está bem patente nos dois espectáculos Mapa (Mapa – Contos e Cantos e Mapa – Estórias de Mundos Distantes), de Fernando Mota, dirigidos a crianças e a adultos. A população sénior também não é esquecida e ocupa, nesta edição, um lugar de destaque em Para Vós, um espectáculo de teatro participativo de Cláudia Andrade, que inclui um período de residência artística, no fim do qual levará ao palco sete idosas dos municípios de Abrantes, Alcobaça e Sobral de Monte Agraço. Segundo Marta Martins, Directora Executiva da Artemrede, esta é “uma edição que aposta na diversidade de propostas e que vai ainda mais além na criação de pontes entre diferentes géneros artísticos e os diferentes públicos deste vasto território da Artemrede”.

A programação foi seleccionada, continua Marta Martins, “através de um processo de debate que abrangeu, por um lado, a equipa da Artemrede e os seus programadores em cada município e, por outro, os grupos de Visionários (espectadores-programadores) que, em Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Pombal e Tomar, discutiram e decidiram as suas escolhas para as suas cidades”.

Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas é uma organização da Artemrede no âmbito do projeto OUTROS CENTROS; cofinanciado pelo programa operacional Centro 2020.