19 restaurantes de Ílhavo recebem Gastronomia de Bordo

Publicidade

O Festival Gastronomia de Bordo regressa ao Município de Ílhavo entre os dias 8 e 17 de novembro, trazendo consigo uma ementa repleta de sabores (e saberes) ancorados na cozinha tradicional e bacalhoeira.

A Câmara Municipal de Ílhavo volta, assim, a promover o Festival Gastronomia de Bordo que, na sua primeira edição, em 2018, registou uma adesão e um impacto bastante expressivos, quer no município, quer na região, quer ainda em vários pontos do país, dado o número de pessoas que se deslocaram a Ílhavo para saborear as experiências e especialidades gastronómicas apresentadas pelos restaurantes.

Com uma programação alargada a dez dias e a participação confirmada até ao momento de 19 restaurantes, esta segunda edição do festival promete levar à mesa verdadeiras iguarias inspiradas em pratos emblemáticos de bacalhau e seus derivados como a famosa Chora, uma sopa feita com a cabeça do bacalhau, caldeirada de espinhas de bacalhau ou línguas fritas. A feijoada de chispe, feijão assado, o “pão da pana” e o “queque dos domingos”, entre outros, também fazem parte do “cardápio”, comida retemperante para climas hostis e mares inóspitos enfrentados por heroicos pescadores.

O festival enaltece a cozinha tradicionalmente produzida a bordo das embarcações, não só através do paladar, mas também de visitas orientadas e outras experiências, um capítulo emblemático da história portuguesa que tanto impacto teve nas vidas e nas famílias dos ilhavenses ao longo dos últimos séculos: a pesca do bacalhau.

Esta iniciativa insere-se numa trilogia de festivais com o mesmo nome e que já passou por Peniche (18 a 20 de Outubro, centrado na pesca costeira) e termina na Murtosa (27 de novembro a 1 de Dezembro, centrado na pesca lagunar), municípios do Centro de Portugal, inseridos no projecto Territórios com História: o Mar, as Pescas e as Comunidades. Um programa cultural assente na valorização do património através de iniciativas que incrementam o turismo e contribuem para o aumento da competitividade regional do Centro de Portugal, sendo co-financiado pelo CENTRO2020, PORTUGAL2020 e pela União Europeia, através do FEDER (www.territorioscomhistoria.pt).