Fotografia: Pavilhão do Conhecimento | Centro Ciência Viva
Publicidade

Como é que os cães e gatos se tornaram tão diferentes dos animais selvagens? Como vêem, cheiram, ouvem e sentem o mundo? A resposta a estas e outras questões vai ser dada na nova exposição temporária que o Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, inaugura hoje, no Dia Mundial do Animal.

“Há quem diga que só lhes falta falar e a verdade é que cães e gatos já nos acompanham há milhares de anos. Mas o que sabemos ao certo sobre eles?”, pergunta o museu na apresentação da mostra, que abre ao público às 18 horas.

A exposição chega da Cité des Sciences et de l’Industrie, em Paris, e desafia-nos a compreender “de forma divertida, sensorial e interactiva” o mundo dos animais de companhia e porque se comportam de formas tão peculiares.

Entre as várias iniciativas previstas, os donos vão ser desafiados a igualar a velocidade dos cães mais velozes numa corrida contra o tempo ou a treinar a sua performance no salto em comparação com os gatos.

No módulo “Do miar ao ladrar” os visitantes vão poder tentar decifrar o que dizem os cães e os gatos através das suas vocalizações. “Por todo o mundo” vai mostrar se todos os países têm a mesma relação com os seus animais de companhia, e o tradicional jogo “Quem é quem?” aplicado aos animais vai explorar a diversidade morfológica entre raças.

A mostra, que decorre até Setembro do próximo ano, inclui ainda obras de arte para quatro patas, uma piscina de bolas semelhante a uma gigantesca malga de ração onde o público pode mergulhar e uma parede de cocós (sem cheiro!), onde cada dono se compromete a apanhar sempre os dejectos dos seus patudos.

Em paralelo, no primeiro e segundo domingos de cada mês vão decorrer os programas Passaporte Canino e Instinto Felino, respectivamente. Nestes dias vai ser possível visitar o Pavilhão do Conhecimento na companhia do amigo de quatro patas e participar em workshops temáticos gratuitos desenvolvidos pela PET B Havior e pelo Grupo Hospital do Gato.