Na Fronteira da História: Pelas fortalezas do Norte

Publicidade

Um país armado

 

Caros leitores,

 

O turismo militar é uma área de negócio que vem suscitando um crescente interesse em Portugal. O país, intimamente ligado à história militar europeia e mundial, começa a ganhar consciência do valioso património que tem e do seu potencial económico, com a atracção de turistas.

Já existem algumas rotas, como a de Defesa do Alentejo, dos Templários ou das Linhas de Torres, e outros projectos devem arrancar brevemente – é o caso da rede de turismo militar para o Médio Tejo (ReTurMil), cujo objectivo é estender a todo o país, numa lógica de desenvolvimento social e económico do interior. A execução de uma estratégia para o turismo militar é, de resto, uma das medidas da Estratégia para o Turismo 2027 definida pelo Governo.

Nesta edição percorremos a fronteira portuguesa, cheia de castelos, fortalezas e muralhas que durante séculos protegeram o reino dos ataques castelhanos. Algumas são construções sublimes, como a de Valença, cujos muros têm mais de cinco quilómetros de extensão, ou a de Elvas, cidade das quatro muralhas classificada como património da humanidade.

Optámos, assim, por um ângulo que nos pareceu interessante dentro do turismo militar: a raia, essa linha condutora repleta de história, lendas e mistérios. Há monumentos bem conservados e sobejamente conhecidos, mas também há outros que muitos portugueses nem sabem existir e que pedem uma intervenção urgente.

O país tem 35 municípios que tocam na fronteira, cada qual com as suas defesas. Falar de tudo numa única edição seria excessivo, por isso resolvemos dividir este trabalho em quatro: as duas primeiras revistas, publicadas em Outubro, percorrem o Norte e Centro; a terceira e a quarta, em Novembro, vão do Alentejo ao Algarve.

Acompanhe-nos nesta viagem e descubra heróis de mil façanhas, soberbas obras de arte militares e inúmeras histórias de resistência que moldaram a actual fronteira portuguesa.

 

Boas leituras

Mondego: Um rio, uma estrada, muitas histórias

Nesta edição vamos focar a nossa atenção no Mondego. O maior e um dos mais importantes rios inteiramente portugueses. Vamos levá-lo por uma viagem desde a sua nascente até à foz, onde as suas águas se fundem com o Atlântico.

Feliz Natal!!

Este ano a edição de Natal volta a ser dedicada às festas e tradições que assinalam a quadra e acontecem um pouco por todo o país. Escolhemos dez eventos que nos parecem representativos da diversidade cultural portuguesa, embora essa lista possa ser questionada pelos que vivem em cada localidade, que é quem conhece melhor os seus costumes, bem como o simbolismo e a importância dos mesmos.

À descoberta da rota do românico

O que há de melhor em Portugal??? Tanto e tanto… é preciso “pôr pés ao caminho”, explorar, viajar, conhecer o que de melhor o nosso país tem para nos oferecer! A rota do românico! Um percurso de cultura, património e beleza no norte de Portugal!

Martulah, Capital Islâmica

Quem diria que a vila de Mértola, do alto de um monte cortado pelo rio Guadiana, já foi capital de um emirado islâmico? Não é fruto do acaso, mas sim da vantagem geográfica que esta zona sempre teve e que tantos povos a si chamou, fazendo das terras em redor de Mértola pontos incontornáveis de várias rotas comerciais.

A sem defesa

Serpa, com o seu belo aqueduto e muralhas, foi uma das zonas de Portugal onde mais conflitos se deram ao longo da História.