Festa da Ilustração 2019

Os desenhos estão de regresso a Setúbal na quinta edição da Festa da Ilustração, certame inaugurado à meia-noite de sexta-feira, na Casa da Cultura, com a ilustradora Cristina Sampaio a apresentar “Linha Clara”, mostra em formato de retrospectiva de carreira.

Publicidade

A Festa da Ilustração volta a trazer desenhos, de autores clássicos a contemporâneos, que são partilhados em diversos espaços e equipamentos culturais, na cidade de Setúbal e também em Azeitão, em mais de uma dezena e meia de iniciativas, algumas alargadas, este ano, até ao final de Agosto. 

É o caso de “Linha Clara”, patente até 27 de Julho na Casa da Cultura, na qual Cristina Sampaio, autora contemporânea convidada e em destaque nesta Festa da Ilustração, revela uma selecção de trabalhos realizados ao longo da carreira e em múltiplas facetas, expostos na Galeria de Exposições e no Espaço Ilustração.

“Enquanto ilustradora não tenho muito jeito para falar”, gracejou a ilustradora na inauguração da exposição que, além de uma retrospectiva de carreira, cumpre um outro desígnio. “Sinto que o meu trabalho tem uma grande influência de Hergé e, por isso, esta exposição funciona também como uma espécie de homenagem.”

Política, brexit, União Europeia, justiça, saúde, imigração, desporto, violência doméstica, media e populismo são apenas alguns dos temas abordados na mostra de Cristina Sampaio, autora que, em jeito de recordação, partilhou com o público que começou a fazer desenhos de crítica na altura do 25 de Abril.

“Fazer sátira com o desenho vem desta fase ainda muito precoce do meu trabalho”, revelou, para depois apontar que o estilo linha clara começou a ser desenvolvido no final da década de 80, quando começou a colaborar com o jornal Público. “Consolidou também a vertente jornalística dos meus desenhos.”

Entre os inúmeros trabalhos, há um que desperta uma memória mais vincada. “Adoptados”, publicado a 3 de Agosto de 2013 no jornal Expresso, o qual gerou “alguma polémica”, porque aborda a questão da adopção por mães solteiras e casais homossexuais e heterossexuais.

Em “Linha Clara” há de tudo um pouco. Se na Galeria de Exposições os desenhos revelam a multiplicidade temática da autora, no Espaço Ilustração é destacada a vertente de caricatura, com grandes reproduções de personalidades como António Costa, Cavaco Silva, Donald Trump, Vladimir Putin, Angela Merkel e Xi Jinping.

Além de “Linha Clara”, Cristina Sampaio está ainda em destaque em “Desafios”, inaugurada no sábado, na Casa d’Avenida. “São mostras complementares. Linha Clara é uma seleção de trabalhos de humor, enquanto Desafios é uma é uma matemática fabulosa aplicada à nossa vida”, explicou Jorge Silva, curador da Festa da Ilustração.

A Festa da Ilustração, organizada pela Câmara Municipal de Setúbal em parceria com a DDLX – Design | Comunicação e a editora Abysmo, certame que mantém o lema desde a primeira edição, “É Preciso fazer um Desenho?”, continua “a cumprir o desígnio de dar expressão aos ilustradores”, destacou o vereador da Cultura na autarquia, Pedro Pina.

Para o autarca, o certame é um espaço privilegiado de afirmação cultural e, sobretudo, “de liberdade, o princípio que continua a guiar a festa” que, nesta quinta edição, recorda a passagem dos cinco anos do atentado ao jornal satírico francês Charlie Hebdo com uma exposição dedicada a Tignous, ilustrador assassinado no ataque terrorista.

José Teófilo Duarte, do atelier DDLX, salientou que a Festa da Ilustração “completa um ciclo de cinco anos” e que o ano zero “aconteceu precisamente no ano atentado”.

Nesta linha, Tignous, nome artístico de Bernard Verlhac, é o artista evocado e homenageado na mostra “Ilustrar a Liberdade”, inaugurada igualmente este sábado, no Museu do Trabalho Michel Giacometti, com uma selecção de trabalhos que o cartoonista francês elaborou ao longo da curta carreira.

“O poder simbólico da sua morte e a vontade que despertou de lutar contra todos os fundamentalismos terá sido, talvez, uma das mais poderosas alavancas de combate à intolerância, à ignorância e ao fanatismo”, destacou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira.

A autarca enalteceu ainda a presença em Setúbal da viúva de Tignous. “Em nome desta cidade sem muros nem ameias, com gente livre por fora e por dentro, agradeço a Chloé Verlhac por ter aceitado o nosso convite para participar nesta nossa Festa da Ilustração e enriquecê-la com a liberdade de Tignous.”

Além de “Linha Clara”, “Desafios” e “Ilustrar a Liberdade”, a Festa da Ilustração 2019 conta ainda com mais sete exposições, todas inauguradas este sábado, patentes em vários espaços e equipamentos públicos do concelho, como é o caso de “Da Luz e das Sombras”, de Manuel Lapa, o ilustrador clássico evocado.

“Da Luz e das Sombras”, patente até 31 de Agosto na Galeria Municipal do 11, recorda o ilustrador cujos trabalhos publicados entre os anos 30 e 70, “um escultor gráfico capaz de moldar a luz e as sombras e que moldou grande parte da nossa história visual contemporânea”, vincou Jorge Silva.

Presença habitual no certame setubalense é a exposição “Ilustração Portuguesa”, na Biblioteca de Azeitão e na Lapso Galeria até 29 de Junho, com um resumo dos trabalhos dos ilustradores portugueses em destaque na actualidade, e “Ver ao Perto”, na Casa Bocage, até 20 de Julho, com obras de ilustradores residentes na região.

A Festa da Ilustração partilha ainda, até 29 de Junho, as mostras “Coisas com Nome no Universo de Sophia”, na Casa d’Avenida, com trabalhos de ateliers e escolas do concelho, “TPC”, na Casa do Largo, por escolas superiores de artes, e “Os Desenhos nos Livros”, na Livraria Culsete, por Mariana Malhão.

De regresso esteve ainda um concerto por ilustradores músicos, realizado no sábado à noite, no exterior da Casa da Cultura, com a banda Soaked Lamb, formada por Miguel Lima, Tiago Albuquerque, Mariana Balas, Vasco Condessa, Afonso Cruz e Gito, a que juntaram depois Pedro Lourenço e João Maio Pinto.

A Festa da Ilustração 2019 reserva ainda um conjunto de actividades paralelas, algumas já realizadas este sábado, casos de um workshop de ilustração de criaturas mitológicas, na Casa do Largo, por Letícia Carmo, e do espectáculo infantil Plouf – Teatro para Pequenos Gigantes, no Fórum Municipal Luísa Todi.

Até ao final do mês, o certame propõe ainda várias actividades, como palestras, apresentações literárias, ateliers, encontros e ainda um workshop pela ilustradora convidada Cristina Sampaio, já no dia 9, pelas 15h00, no Espaço Ilustração da Casa da Cultura, por cinco euros.