DIGRESSÃO NACIONAL “ARY, O POETA DAS CANÇÕES” ENCERRA EM OEIRAS

Publicidade

6 e 7 de Dezembro | 21H30

Auditório do Templo da Poesia, no Parque dos Poetas

O Parque dos Poetas vai abrir as suas portas do seu Templo da Poesia para receber uma homenagem um dos maiores poetas da música portuguesa. Ali vai ter lugar o encerramento da Digressão Nacional “Ary, O Poeta das Canções”, com 10 anos de espectáculos ininterruptos, que consiste num tributo a José Carlos Ary dos Santos, por Joaquim Lourenço. Os dois espectáculos estão marcados para os dias 6 e 7 de Dezembro, às 21:30.

Canções históricas como Desfolhada, Canção de Madrugar, Cavalo à Solta, Tourada, Estrela da Tarde, Um Homem na Cidade, O Cacilheiro, O Homem das Castanhas, Lisboa Menina e Moça, Os Putos e Retalhos da Vida de um Médico, entre outras, são tocadas e cantadas de forma inovadora e contemporânea com recurso à linguagem da música clássica, do jazz, da world music e do novo teatro musical.

José Carlos Ary dos Santos é provavelmente o maior poeta da música portuguesa e é extraordinária a actualidade de uma obra começada a ser escrita há exactamente 50 anos.

Ao ouvir o tema “Canção de Madrugar”, a irmã do poeta, Rosário Ary dos Santos, comentou: “Se o Zé cá estivesse adoraria ouvir esta canção cantada por si”.

E Carlos do Carmo, um dos maiores intérpretes do poeta, com o qual conviveu de perto, afirmou: “É um trabalho muito digno e de grande qualidade. O nosso Ary, se fosse vivo, teria gostado muito desta homenagem.”

Ficha Artística:

Joaquim Lourenço, Voz

João Guerra Madeira, Piano

João Ricardo Almeida, Contrabaixo

Bruno Monteiro, Bateria e Cajón

António Barbosa, Violino

Nanã Sousa Dias, Saxofones

Pedro Santos, Acordéon

Bruno Mira, Guitarra Portuguesa

Catarina Gonçalves, Dança

Renato Grilo, Vídeo

Bilhetes 5€ – À venda nos locais habituais