Primeira edição do Setúbal Cantofest decorre até dia 15 de Agosto

Publicidade

Cantores líricos de todo o mundo participam, até dia 15 de Agosto, na primeira edição do Setúbal Cantofest, uma especialização em reportórios de ópera italiana, francesa e alemã que inclui várias apresentações ao vivo na cidade.

Cantores líricos profissionais e semiprofissionais e professores de renome internacional que ao longo de dez dias vão trabalhar juntos estiveram ontem, ao final da tarde, reunidos num momento de confraternização realizado na Casa d’Avenida que simbolizou o arranque do evento.

Marcos Santos, director artístico da iniciativa organizada pela Grand Stage Internacional Arts Foundation, em parceria com a Câmara Municipal de Setúbal, destaca que “Setúbal é uma cidade com tradição na música lírica e que reúne todas as condições para ter o festival, tanto a nível cultural como turístico”.

Participam na primeira edição do Setúbal Cantofest um total de 23 cantores líricos, homens e mulheres com idades entre os 21 e os 36 anos, provenientes de países como Portugal, Brasil, Rússia, Azerbaijão, Estados Unidos da América, Holanda, Hong Kong e Coreia do Sul.

O Setúbal Cantofest, explica o director artístico, “é um festival de ópera que reúne na cidade cantores líricos de vários pontos do mundo para trabalhar numa especialização em vários reportórios, conhecimentos que são partilhados com o público em vários concertos”.

A primeira apresentação realiza-se já no dia 8, às 21h30, com um Concerto de Ópera ao ar livre, no Largo da Ribeira Velha, a que se segue, dois dias depois, a 10, igualmente às 21h30, um Stabat Mater de Pergolesi, na Igreja de São Sebastião, ambos com entrada gratuita.

No dia 13, às 19h00, há um Concurso de Canto, no Salão da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi, em que o público é convidado a assistir ao trabalho dos professores e dos formandos, enquanto o dia 15 reserva uma Gala de Ópera, às 21h30, no Fórum Municipal Luísa Todi, com bilhetes a cinco euros.

O Setúbal Cantofest, com concertos, concursos e ainda uma masterclass é, de acordo com Marcos Santos, “uma oportunidade para alguns dos participantes que já cantam em grandes salas mundiais rodarem reportório” e, em simultâneo, “treinarem com professores de renome internacional”.

Olga Makarina, fundadora da Grand Stage Internacional Arts Foundation e cantora residente da The Metropolitan Opera, é uma das professoras que marca presença em Setúbal e esclarece que a escolha de Portugal e, em particular, de Setúbal, para a realização da primeira edição do evento não foi feita ao acaso.

“Queríamos um país com tradição na música lírica e, por outro lado, uma cidade acolhedora. Encontrámos isso em Setúbal, com condições excepcionais para este evento e recursos como o rio e a serra, um clima e uma gastronomia fantásticas que inspiram a criação artística”, enaltece Olga Makarina.

Por tudo isto, aponta a cantora lírica, “Setúbal é um lugar no qual todos podemos trabalhar em família e em harmonia”, sentimento espelhado em todos os participantes que, logo no primeiro dia, apesar do cansaço da viagem e do dia de trabalho, “estavam todos com um sorriso”.

Olga Makarina frisa que a ideia é realizar o Setúbal Cantofest uma vez por ano e colocar a cidade “no mapa do canto lírico”. Agradeceu, ainda o apoio da Câmara Municipal de Setúbal na realização do evento, em particular com a cedência do Fórum Municipal Luísa Todi para a dinamização das actividades de especialização.

Além de Olga Makarina, participam no Setúbal Cantofest os professores Vlad Iftinca, da Metropolitan Opera, dos Estados Unidos da América, Katia Borissova, do Salzburg Mozarteum, Áustria, Ugo Mathieux, da Opéra de Paris, França, Pavel Demisov, do International “Elena” Festival Opera, e Marcos Santos, da Universidade de Évora.