Novembro em festa nos parques e monumentos de Sintra

Publicidade

Com a quadra natalícia à porta e o final do ano a chegar, o mês de novembro apresenta-se especialmente festivo nos parques e monumentos de Sintra.

A comemoração dos 40 anos da Escola Portuguesa de Arte Equestre tem o seu auge com a realização de uma Gala, no Campo Pequeno, em Lisboa, que celebra a Arte Equestre, com a participação de convidados internacionais.

O esplendor da música setecentista continua a animar o Palácio Nacional de Queluz, com o ciclo musical “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”. No Palácio Nacional de Sintra, o programa “Danças com História” revive o ano de 1499 e a notícia do regresso da armada Vasco da Gama, após a descoberta do caminho marítimo para a Índia.

Para os adeptos da vida no campo, destaque para o programa “Era uma vez na Quintinha”, na Quintinha de Monserrate. Entretanto, na aproximação do Natal, propõe-se o envolvimento dos mais pequenos no espírito da época festiva através da música, com o concerto para bebés “Manhã de Natal”, no Palácio de Monserrate.

Até 10 de novembro, no Palácio Nacional de Queluz, decorre o ciclo musical “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Divino Sospiro – Centro de Estudos Musicais e Setecentistas de Portugal, com direcção artística de Massimo Mazzeo. Esta 5ª edição apresenta uma multiplicidade de repertórios que abraçam um século de história, passando do barroco tardio e chegando às portas do romantismo, com destaque para a figura de Johann Sebastian Bach. O cartaz contempla também, pela primeira vez, concertos para famílias, que serão executados num formato convivial e de proximidade pela Divino Sospiro, com a participação e os comentários do ator João Reis. Neste âmbito, serão apresentadas duas das “Quatro Estações”, de Vivaldi, no dia 3 de novembro, às 19h00, na Sala do Trono.

A 9 de novembro, sábado, às 10h30, na Quintinha de Monserrate, prossegue o programa “Era uma vez na Quintinha”. Esta atividade permite que os mais novos tomem contacto com as tarefas típicas de uma quinta, num ambiente de diversão, onde não faltam jogos tradicionais e muitas surpresas. Túlio e Tibério são os brincalhões irmãos que conduzem esta grande aventura, onde todos ajudam a cuidar dos animais e dos outros trabalhos do campo. No final, partilha-se o pão fresco, amassado e cozido na quinta, e a limonada que o acompanha.

Também no dia 9 de novembro, mas às 11h00, no Palácio Nacional de Sintra, realiza-se a atividade “Danças com História: D. Manuel I – O regresso de Vasco da Gama”, que recorre aos sons, às danças e aos trajes da época, para evocar um acontecimento decisivo da história de Portugal. Nesta apresentação, a Associação Danças com História propõe uma viagem ao ano de 1499, precisamente ao dia em que D. Manuel I recebe em Sintra a notícia do regresso da armada de Vasco da Gama, confirmando assim o sucesso da descoberta do caminho marítimo para a Índia. A experiência completa-se com uma visita guiada ao Palácio.

No dia 17 de novembro, domingo, às 18h00, no Campo Pequeno, em Lisboa, festejam-se os 40 anos da Escola Portuguesa de Arte Equestre, com uma Gala Comemorativa que conta com as participações internacionais do Cadre Noir (Saumur, França) e da Real Escuela Andaluza del Arte Ecuestre (Jerez, Espanha). Durante o espetáculo, enriquecido pela música e pela coreografia, as escolas vão apresentar números equestres próprios e quadros executados em conjunto pelos cavaleiros das três academias, espelhando a diversidade das Artes Equestres Portuguesa, Espanhola e Francesa. O evento pretende celebrar e divulgar a Alta Escola Equestre enquanto manifestação cultural secular.

Nesta mesma data, 17 de novembro, às 10h30, o encanto do Natal começa a tomar conta dos mais pequenos, com o concerto para bebés “Manhã de Natal”, no Palácio de Monserrate. É um espetáculo musical interativo que estimula o sentido melódico e rítmico dos participantes e que promove a interação lúdico-musical entre pais e filhos. Nesta viagem pela música clássica, invoca-se a noite mais mágica do ano ao som de melodias como “Manhã Feliz” (“Silent Night”, de Joseph Mohr/Franz Xaver Gruber), exploram-se sons, timbres e ritmos.