Exposição de Fotografias de Luís Ramos decorre até 29 de Setembro

Publicidade

REMEMBER é um projecto que a partir de um determinado momento se sobrepõe à vontade do autor e decide o seu próprio caminho. O que inicialmente seria uma abordagem temática na área do retrato, num contexto de fotografia de rua, acabou por dar origem a um projecto documental.

Por vezes as diversas categorias em que temos tendência a catalogar uma obra, não sendo estanques tornam-se cúmplices, dando origem durante o processo de produção a um resultado para lá do espectável inicialmente.

Neste caso é essa evolução que vem ditar mais tarde a forma de apresentar a obra, como se de um painel se tratasse, adquirindo uma dualidade de leituras. A considerável volumetria do conjunto que observado à distância forma uma unidade, uma peça alicerçada no carácter de constância do enquadramento e nas características monocromáticas de cada imagem, ao aproximarmo-nos toma outra dimensão revelando a força da individualidade de cada retrato.

Estes retratos não são encenados, mas a presença e cumplicidade com o fotógrafo é facilmente perceptível pela sua proximidade física. Foram realizados ao longo de 2013 com pessoas que se manifestavam nas ruas de Lisboa contra as políticas de austeridade implementadas pelo governo de então, segundo directivas impostas pela «Troika».

As personagens aparecem descontextualizadas e praticamente despidas de qualquer referência social para nos podermos focar apenas no essencial, o seu rosto, revelador da sua intimidade, da sua tristeza, do seu desalento, do abandono e da traição de que se sentiam vítimas indefesas.

Estas imagens de cidadãos anónimos, em que se pretendeu destacar a sua singularidade enquanto representantes transversais da comunidade, revelaram-se de uma enorme dureza que extrapolava o individual e que poderia, na realidade, materializar um determinado momento da vida de grande parte da nossa sociedade e do nosso país.

Acima de tudo este é um projecto acerca das pessoas, que não devem ser nunca esquecidas. Somos todos nós… REMEMBER!