Jonathan Coe já está em residência literária em Cascais

Publicidade

O romancista inglês Jonathan Coe ficará em Cascais até ao início de Dezembro, no âmbito do programa de Residências Internacionais de Escrita Fundação Dom Luís I, coordenado por Filipa Melo.

A estada destina-se à escrita do seu próximo romance, mas inclui uma Aula Aberta, em meados de novembro (aberta ao público, em data e local a anunciar) e a presença na edição deste ano do festival literário Tinto no Branco, a decorrer em Viseu, com organização da Booktailors, no início de Dezembro.

Depois do francês Olivier Rolin e do nova-iorquino Michael Cunningham, é a vez de Jonathan Coe residir e trabalhar em Cascais, numa altura em que o seu mais recente romance, O Coração de Inglaterra, editado em Portugal pela Porto Editora, é falado por todo o mundo.

O programa de Residências Internacionais de Escrita Fundação Dom Luís I foi inaugurado com Olivier Rolin, em Outubro de 2018, tendo-se seguido a estada do nova-iorquino Michael Cunningham. Cabe agora a Jonathan Coe ter morada em Cascais, no âmbito das primeiras residências literárias internacionais, de carácter regular, em Portugal. Igualmente programadas estão as residências do romancista espanhol Javier Cercas (abril/junho 2020) e do Prémio  Camões 2018, o  cabo-verdiano Germano  Almeida (outubro/dezembro 2020).